Assédio, de acordo com o Dicionário Online de Português, é a “insistência inconveniente, persistente e duradoura em relação a alguém, perseguindo, abordando ou cercando essa pessoa”.

Desassédio é um neologismo da Conscienciologia que significa uma assistência promovida pelo desacoplamento de padrões pensênicos perturbadores impostos ou vindicados por consciências enfermas, autopatopensenes ou influências de holopensenes doentios na pensenosfera da consciência assediada. E, por fim, autodesassédio, que também é um neologismo, denota uma ação ou pensenização positiva da consciência em relação a si mesma, catalisando o enfrentamento dos desafios e contrafluxos evolutivos e evitando a atuação dominadora de heteroassédios.

Maximiliano Haymann vai tratar destas questões fundamentais que envolvem o reconhecimento que uma pessoa deve ter de sua condição no tratamento do autoassédio que é, claro, o autodesassédio. São preciosas prescrições que auxiliam na evolução consciencial de modo a agilizar ações e pensenidades positivas que temos de nós mesmos. A lista a seguir implica em um autoenfrentamento necessário diante das condições negativas que levam ao autoassédio:

  • Categorias de Autoprescrições Desassediadoras
  • Técnicas para o Autodesassédio
  • Riscos Assediadores e Parassegurança
  • Autodesassédio e Paraprofilaxia
  • Autorrefratariedade: Autodesassedialidade Avançada

Maximiliano Haymann é epicon e voluntário da Organização Internacional de Consciencioterapia, a OIC, que lida diariamente com o estudo, tratamento, alívio e remissão de patologias e parapatologias da consciência, por intermédio da aplicação de recursos e técnicas derivados da Conscienciologia.

O curso faz parte da Ação Integrada CCCI e será ofertado domingo, dia 19 de julho, das 14h30 às 17h30, com tradução simultânea para o inglês e espanhol feita pela Pré-IC ISIC, Serviços Interassistenciais para a Internacionalização da Conscienciologia.

Faça sua inscrição pelo site do CEAEC e compreenda melhor o autodesassédio aplicado, de modo prático, em nossa jornada evolutiva e interassistencial
Compartilhe:

Jair Rangel nasceu em Belo Horizonte, Minas Gerais. É jornalista e doutor em Comunicação pela UFRJ. Coordena o Conselho de Intercomunicação da UNICIN. É voluntário e tenepessista da Conscienciologia desde 2015. Contato: intercomunicacao@unicin.org