Os conscienciólogos Emanuel Maia e Fábio Ferrari estão encabeçando um novo projeto sobre o fenômeno da experiência fora do corpo ou projeção consciente. Para falar mais sobre esse documentário, ambos concederam uma entrevista para o Portal da Conscienciologia.

Qual a ideia desse documentário sobre projeção lúcida?

Emanuel: A ideia inicial é fazer um contexto histórico sobre a projeção ao longo da história da humanidade e também abarcar algumas linhas do conhecimento para ver o que pensar sobre o fenômeno. Dessa forma, vamos colocar isso de modo histórico, com imagens, narrativa explicando o assunto e junto com relatos de pessoas que passaram por esse fenômeno de forma prática que foi marcante.

O objetivo é acessar pessoas que desconhecem a Projeciologia?

Fábio: A ideia é entrevistarmos uma diversidade de pessoas, não apenas integrantes da CCCI, mas qualquer uma que tenha tido algum tipo de fenômeno projetivo. Não que remos que o entrevistado dê uma aula de Projeciologia do ponto de vista mais formal, mas ela simplesmente relatar a experiência pessoal. Estamos querendo valorizar a condição do relato que muitas vezes não é valorizado nos documentários tradicionais onde geralmente o assunto é encerrado pela opinião de um cientista cético e materialista.

Qual a fase atual desse projeto?

Emanuel: Estamos em uma fase de gravações onde estamos coletando relatos e entrevistas. Estamos com a ideia de lançar um teaser ou espécie de trailer para as pessoas terem uma noção da proposta do documentário. Vamos selecionar uma pessoa que fale com mais veemência sobre projeção, algum especialista na própria comunidade, e que será o carro-chefe dos conteúdos apresentados.

Tem alguma IC envolvida nesse trabalho? O que será feito depois do seu lançamento?

Fábio: Estamos fazendo esse projeto através da Comunicons. Ainda não temos nada delineado para onde esse trabalho vai, ou seja, se vai para um programa de TV, se vira um filme, entre outros. Estamos em uma fase de estruturação ainda do projeto onde já fizemos algumas filmagens, estamos com esse material de áudio e vídeo, mas o próprio documentário em si está numa fase em que estamos “desenhando” todo o trabalho.

fabioemanuel

* Por Alexandre Pereira.

Compartilhe: