Lançamento da obra Vidas de Naturalista

No dia 23 de maio de 2015, após o Círculo Mentalsomático, foi lançado o livro Vidas de Naturalista, com autoria de Roberto Leimig pela Editares. O livro fala da hipótese do autor de ter sido personalidade consecutiva de Marcgraf, Steller e Humboldt e de métodos de análise biografológica em mais de 400 páginas. O autor concedeu entrevista ao Portal da Conscienciologia:

De onde surgiu a ideia de escrever essa obra?

Foi a partir dos dados de autopesquisa. Então as personalidades, os fatos, os parafatos e os fenômenos que foram ocorrendo desde o início dos estudos que apontaram para relações como, por exemplo, Alemanha e Holanda. A partir daí o próprio vínculo com a natureza e o estudo da Biologia foi convergindo e apontando para um determinado sentido que era a relação com a história natural. Fui aprofundando em algumas biografias e chegando a identificar essas personalidades como mais afins e relacionadas ao passado.

Qual foi a metodologia usada nessa gescon?

A metodologia foi se desenvolvendo à medida que fui estudando as biografias, realizando cursos e atividades. Então a metodologia cresceu juntamente com a pesquisa, mas a parte básica é a anotação de todos os fenômenos, parafenômenos, traços de personalidade e o acúmulo de tudo isso nas comparações e correlações. Também fiz viagens para pesquisar in loco que também auxiliou na identificação dessa pesquisa onde a teoria foi unida com a parte prática.

O que você destaca na obra?

Destaco o aspecto da metodologia mesmo. Há uma seção onde eu descrevo o passo a passo desde os indícios iniciais ou primeiras evidências que eu tinha igual à maioria das pessoas. Eu convivia com várias evidências dessas personalidades mas ainda não tinha pesquisado e com o tempo fui aprofundando a autopesquisa e consequentemente aparecendo mais dados que vão apontando para detalhes das personalidades e se identificando com elas.

Você pensa em escrever alguma continuidade desse trabalho?

Esse trabalho tem previsto mais duas etapas de publicações. Uma é sobre dicas e orientações sobre viagens de prospecção, tanto no Brasil como no exterior, e o outro livro é fazer uma análise mais seriexológica no sentido das motivações dos naturalistas explicando uma vida naquele estilo. Por que tiveram uma vida daquela forma? Ou seja, terá um caráter mais explicativo enquanto nessa obra houve uma abordagem mais descritiva, principalmente na metodologia de comparação.

Você pode falar sobre o enigma que há na capa e na contracapa do livro?

O enigma da capa é a própria hipótese sobre a personalidade consecutiva. Será que isso é verdade? Será autêntico? Então para avaliar se cada personalidade é mesmo a sequência da outra. Na contracapa diz respeito a uma imagem de retrocognição onde destaco as estrelas do cruzeiro do sul, na orientação das explorações de dois desses naturalistas, com a minha personalidade. Qual a relação do cruzeiro do sul com a minha história? O cruzeiro já apareceu na vida dessas personalidades e apareceu na minha desde a infância. E fiz questão de deixar registrado no livro. Os enigmas são: qual o oceano que o barco navega (ver a indicação dada pelo cruzeiro do sul e pela lua)? Qual sentido o barco viaja? Qual o continente do ponto de vista do observador?

Qual o recado final para os interessados na sua obra?

O recado é ver o livro como uma cobaia. Ou seja, se você fosse realizar uma pesquisa de retrocognição, quais procedimentos você realizaria, entre os que eu utilizei, e o que você melhoraria, pois tudo deve ser melhorado e ampliado. Me esforcei para fazer uma metodologia o mais coerente possível. Como serve para a autopesquisa, cada um deve usar a personalização para ajustar a sua realidade. Então, se a pessoa é política ela pode usar outros procedimentos que não utilizei ou se é mais ligado a arte pode aparecer outras circunstâncias. É importante adequar a realidade pessoal.

vn 1

vn 3

vn 4

vn 5

vn 7

vn 6

* Por Alexandre Pereira.

Compartilhe: